Follow:

    QUERES IR AO CURSO DA MÃE CATITA?

    Mães-polvo, mães-sempre-em-pé, mães-fazem-tudo, mães-sorriso, mães-quero-dormir e mães-catitas. Todas nós somos mães diferentes, e eu quero conhecer melhor que tipo de mãe és tu. Com sorte, ainda vou ter a possibilidade de te conhecer pessoalmente! Participa no concurso da Mãe Catita no facebook e podes ganhar uma entrada no curso  “O Segredo do Comportamento”, que se vai realizar no dia 20 de Maio em Lisboa (Parque das Nações).

    Como participar? Vai AQUI, faz like da página da Mãe Catita, comenta o post com o tipo de mãe que és, partilha o post no teu feed… e já está!

    A mãe-vencedora vai ser sorteada através do random org, notificada no post e através de mensagem privada. O concurso termina no dia 16 de Maio às 15h.

    Boa sorte, sua mãe-sortuda!

    Share

    VALE A PENA MIMAR-ME

    Começamos logo de manhã. Corre para aqui, corre para ali. Prepara isto, pensa naquilo, faz malabarismos para encaixar todas as atividades extracurriculares, o nosso trabalho, os tpcs, a comida saudável, os banhos, as horas a que os miúdos precisam de estar na cama. Ufa!

    Só quando aterramos no sofá, é que notamos como estamos exaustas. E dois segundos depois, já estamos a programar tudo o que é preciso para o dia seguinte. A nossa cabeça parece o gabinete da direção de uma multinacional. Uma autêntica loucura.

    Sinceramente, não sei onde vamos buscar a energia. Não sei onde vamos buscar tanto amor e colo para dar aos outros. Não sei como conseguimos ter na cabeça frações complicadas, e onde estão as bolachas na despensa. Mas sei como me sinto exausta e zangada se não cuido de mim. Foi algo que fui notando com curiosidade. Percebi que não consigo ter tanta paciência quando estou esgotada. Que me zango mais facilmente. E que muitas vezes, depois do calor do momento, percebo que não era nada daquilo que queria dizer ou fazer.

    As instruções de segurança nos aviões são muito claras nos procedimentos a seguir. Primeiro, temos de colocar a máscara de oxigénio em nós, e só depois ajudar as crianças. O mesmo devia acontecer na parentalidade. Só conseguimos dar, se tivermos algo para dar. Caso contrário, estamos em esforço contínuo. Em desgaste contínuo.

    Uma mãe precisa de cuidar de si. Cuidar sem culpa. Precisa de descansar, carregar a pilha, sentir-se inteira para ser capaz de cuidar e dar aos outros. Além disso, uma mãe ao cuidar de si, inspira nos filhos o autocuidado e a auto-valorização.

    Pensei com carinho, no que te podia oferecer para começares a cuidar de ti. Pouco a pouco. A mimares-te como mereces. A sentires como faz toda a diferença. Que isto do “cuidar de mim”, não faz de ti uma má “mãe”, mas sim uma mãe humana.

    Pensei e decidi dar-te momentos. Momentos de auto-mimo para cortares, usares e mimares-te.

    Lembra-te, vale mesmo a pena cuidares de ti todos os dias, e não só no dia da mãe. FELIZ DIA DAS MÃES HUMANAS!

     

    (Se tiveres dificuldades em tirar e imprimir a imagem, ou se a quiseres com mais resolução, manda-me um mail para maecatita@gmail.com e envio a imagem para ti.)

    Artigo escrito originalmente pela Mãe Catita para a Uptokids
    Share

    FRASE CATITA

    Só por hoje, não tentes encaixar. Sê tu mesma. Originalmente, maravilhosamente TU. Dia a dia, sê “tu” mais um bocadinho. Passo a passo, no teu original caminho, inspiras o teu filho a ser ele mesmo, todos os dias.

    Share

    FRASE CATITA

    Mais do que dizer, mais do que fazer… SENTIR. Estas são as memórias mais poderosas que ficam, e inspiram os nossos filhos a serem humanamente humanos.

    Share

    FRASE CATITA

    No outro dia, no meio de toucas, óculos, chinelos e de uma mãe totalmente embaciada, eu e o pequeno catita falávamos sobre como é difícil, fazer coisas difíceis. Algo que seja fora da nossa zona de conforto.

    Queremos, mas temos medo. Não fazemos ideia para onde aquele primeiro passo nos vai levar. Nunca foi dado, e isso é assustador. Não há mapa, não há segurança, mas também não há limites.

    Será que vou conseguir? Será que sou capaz? Será?

    A meio da conversa, olhou para mim e disse com a sabedoria dos seus 6 anos “Tu dás-me coragem mamã!” e o meu coração, instantaneamente, encheu-se de coragem também.

    Share