Follow:

    O CONFLITO COMO UMA OPORTUNIDADE

    Cada conflito é uma oportunidade. Uma oportunidade para crescer, para aprender e para responder de uma forma diferente.
    Esta oportunidade só está disponível se estivermos ao volante do nosso mundo interno. Presentes. Conscientes. Só com autoregulação e autoconhecimento conseguimos, enquanto nos carregam nos botões internos, dar uma resposta adequada à situação, em vez de entrar em combustão espontânea. Conseguimos dar uma resposta que ensina, modela e inspira.

    A conexão e o exemplo.

    As crianças aprendem com o exemplo que damos em situações de desafio. Se tivermos calmos e presentes, elas aprendem a criar novas ligações de resposta no cérebro que apoiam a função executiva, em vez de utilizarem sempre uma resposta de sobrevivência e ataque. Para estas ligações serem criadas, primeiro tem de existir conexão entre o adulto de referência e a criança. Esta conexão é alimentada pela presença e muitos momentos de brincadeira. Só assim se ligam as autoestradas internas por onde mais tarde a autoregulação vai viajar.

    Quem queres ser perante um conflito, uma inspiração de presença ou um vulcão em erupção descontrolada?

    Assume o volante da tua parentalidade com o workshop “Como Educar com o Coração sem perder a Razão” . Vagas Limitadas. Informações maecatita@gmail.com

    Share

    QUANDO DO NADA ELES DIZEM TUDO

    Se há coisa que desafia a força de vontade de uma mãe, é levar os pequenos à natação. TODAS as semanas.
    Voar do trabalho para chegar a horas com mudas de roupa, chinelos, toucas, óculos e comida pós-piscina reforçada na mochila. Aterrar num ambiente tropical que limpa todos os poros, e nos cozinha lentamente a vapor (quem usa óculos deve ser ainda mais divertido).
    As mangas encharcadas enquanto tentamos ajustar a temperatura da água do duche. Ou, se os balneários têm temporizador, enquanto carregamos de 5 em 5 minutos na torneira tornando TUDO mais emocionante. Os nossos sapatos com as clássicas proteções azuis, estilo Anatomia de Grey, sempre à mercê de uma duchada mais forte.
    Mas, a maravilha de os ver aprender a nadar, a partir do nada, desperta o sorriso de qualquer mãe transpirada.
    O pequeno catita está aprender a nadar. Depois de treinar separadamente os braços e as pernas de crawl, chegou o dia de os juntar. Reparei como estava a ser um desafio para ele, como às vezes abrandava para tentar coordenar tudo. Como estava cansado. Notei como estava a dar o seu melhor, como em cada pista que fazia, evoluía mais um bocadinho. Reparei como cada vez que fazia uma volta, saía da água com um sorriso enorme na cara.
    O que eu estava a ver, estava a ser comentado pela professora de forma diferente “Asneira! Estás distraído! Concentra-te! És muito distraído!” , “Olha para os teus colegas!”.
    No meio daquele bafo tropical, do desconforto e cansaço, é mais fácil sentirmo-nos reactivos, críticos e pouco tolerantes. Os comentários aumentavam, grau a grau, a minha temperatura interna.
    Quando a aula acabou, como sempre, falei com o pequeno catita do que notei que ele tinha conquistado, e como parecia feliz e realizado. Perguntei-lhe, também, como se tinha sentido perante os comentários e rótulos atirados pela professora entre braçadas. “Mãe, as pessoas não são perfeitas. Há coisas que conseguem fazer melhor… a professora explica bem os exercícios. Há coisas que ela ainda tem de aprender. “
    Quando os pais se questionam “Como é que eu sei que estou a fazer um bom trabalho?”. Confia, dá tempo e vais ver. Quando menos esperares, do nada, o teu pequeno catita vai surpreender.

     

    Lê também MIÚDOS PERFEITAMENTE IMPERFEITOS
    Share

    E TU, QUE EXEMPLO ÉS?

    Podes fazer todos os discursos inspiradores e hollywoodescos que quiseres.
    Podes explicar pormenorizadamente como devia ser feito, passo a passo. Podes gritar qual era atitude correcta, o comportamento ideal, e apontar tudo o que estava errado. Apostar todas as fichas na “próxima vez”, que vai ser certamente diferente. Podes ficar cheio de expectativas e frustrações, ou podes fazer o que queres ver acontecer. As crianças aprendem pelo exemplo. Com TUDO o que acontece diariamente à frente delas. Como nos comportamos no trânsito, como nos regulamos quando estamos zangados até à ponta dos cabelos, como lidamos com notícias tristes, contratempos e os tempos que passamos ao telemóvel.

    Partilhar, ensina-se partilhando. A paciência, ensina-se com paciência. E a flexibilidade, certamente não se ensina com teimosia.
    Sê o exemplo que queres ver crescer, e vê-o florescer, à tua frente, de dia para dia.

    Descobre mais sobre como dar o exemplo, no artigo Mapa de navegação para pais
    Share

    ESTE WORKSHOP É PARA TI!

    “O GRANDE SEGREDO DO COMPORTAMENTO”

    Domingo, 31 de Março de 2019 | 9h30 – 13h Lisboa

    “Tenho de lhe dizer 50 vezes a mesma coisa. Está sempre com a cabeça na Lua.”; “Oh! Se não é o primeiro, é o fim do mundo!”; “Ele é tãaaao sensível!”; “Não percebo, ele quer ver SEMPRE o mesmo filme!”

    Se algo te soa familiar, então este curso é a tua cara. Um imperdível workshop de 3h30, onde vamos descobrir um verdadeiro decifrador de comportamentos, para que o comportamento do teu filho deixe de ser um mistério. Uma oportunidade única para conheceres melhor os teus filhos, a ti próprio, e para começarem finalmente todos a falar a mesma língua.

     

    O QUE VAMOS APRENDER

    1. Como a parentalidade consciente pode preparar o meu filho para o futuro.
    2. Como encontrar o meu caminho como pai: definir o meu mapa de navegação.
    3. Como sobreviver a uma birra sem perder a cabeça.
    4. Como trabalhar a autoregulação emocional da criança.
    5. O poder da conexão. Como criar relações fortes e duradouras.
    6. A verdadeira origem do comportamento.
    7. Decifrar o comportamento: o que o meu filho está a tentar dizer-me.
    8. Plasticidade comportamental, a ferramenta profissional do futuro.
    9. Como ajudar o meu filho a estudar sem me passar.

     

    PARA QUEM É ESTE CURSO

    Para pais, educadores, cuidadores e todos aqueles que interagem com adolescentes e crianças de qualquer idade.

    Informações e inscrições maecatita@gmail.com

    Share

    DIA DO PAI, DIA DE CRIAR MEMÓRIAS FELIZES.

    As memórias felizes criam fios invisíveis que ligam a criança a todos aqueles que são importantes na sua vida. Uma rede que nos une, e que enche continuamente o nosso depósito emocional de amor.

    No Dia do Pai, oferece-lhe um frasco cheio de memórias felizes e juntos relembrem, um a um, todos os instantes que geraram estas recordações. É mais uma oportunidade de criar outra memória feliz, papelinho a papelinho.

    Para teres o teu KIT CATITA, basta salvar a imagem para o teu computador, imprimir e seguir as instruções. Imprime várias vezes para teres todos os papelinhos que precisas. Se tiveres dificuldades em tirar e imprimir a imagem, ou se a quiseres com mais resolução, manda-me um mail para maecatita@gmail.com e envio a imagem para ti.

    VAIS PRECISAR DE

    • Frasco de vidro (reciclar algum lá de casa é sempre uma boa ideia)
    • Tesoura
    • Cola ou fitacola dupla
    • Memórias felizes
    • Impressora

    TOCA A FAZER

    • Clica na imagem e imprime (em caso de dificuldades técnicas manda-me logo um e-mail, eu ajudo).
    • Recorta o rótulo, e cola-o num frasco de vidro.
    • Recorta os papelinhos e preenche-os com os teus pequenos catitas (os que já conseguem escrever podem fazer esta parte sozinhos).
    • Dobra cada um dos papelinhos e coloca-os dentro do teu frasco de memórias catitas.
    • Podes colocar a quantidade de papelinhos-memórias que quiseres.
    • Fecha o frasco e TCHAM! TCHAM! TCHAM TCHAM! Já tens o teu super presente acabado!

    DICAS

    – Para cada filho imprime um rótulo. Com canetas e lápis de cor, deixa-os criarem o seu frasco personalizado para oferecer ao pai!

    – Também podes tornar este frasco um depósito especial onde, enquanto crescem, os teus filhos colocam as suas memórias mais preciosas.

    FELIZ DIA DO PAI!

     

    Share

    QUE PAI QUERES SER?

    Diz-me, que qualidades no teu filh@ queres ver crescer?
    Aceitação? Cuidado? Respeito? Integridade? Empatia? Tolerância? Pensamento inovador e crítico? Resiliência? Responsabilidade? Partilha? Paciência? Auto-cuidado? Motivação? Dinamismo? Colaboração? Não-julgamento? Curiosidade? …
    Sabes, as crianças aprendem pelo exemplo e não pelas palavras que ouvem. Constroem as suas crenças e valores à medida que observam. De olhos bem atentos e coração bem aberto.
    Pensa. Que pai e mãe tens de ser para inspirar que essas qualidades floresçam? Para que eles se sintam bem na sua pele, e tenham relações saudáveis cheias de respeito mútuo.
    Para que o seu lado HUMANO seja regado, e que eles sintam que somos todos um, e não uns contra os outros.

     

    Mais sobre intenções e mapas de navegação no artigo MAPA DE NAVEGAÇÃO PARA PAIS.
    Share

    ERRAR É CATITA

    Sempre fui muito exigente comigo e com os outros. Ensinaram-me desde cedo que o erro era algo negativo e a evitar. Algo para fugir a sete pés.

    Este facto era reforçado na escola quando num teste marcavam a vermelho, com redobrada determinação, o que estava errado. Apenas o que estava errado era notado. Éramos levados a acreditar que nós somos o último erro que cometemos.  

    As estratégias passavam por fazer TUDO para evitar errar, (como se isso fosse possível). Durante muitos anos, enquanto crescia, era esse o meu foco. Essa era a base do ensino e da educação, tal como hoje ainda é. 

    Quando escolhi mudar a minha relação com o erro, decidi inscrever-me numa aula onde certamente iria ser uma das PIORES alunas da turma. Inscrevi-me na dança do ventre, para enfrentar os meus erros de frente e com jogo de cintura.

    Todos para a direita… e a Joana para a esquerda. Todos para a esquerda… onde é que está a Joana??? Nunca me diverti tanto. Nunca errei tanto. Nunca aprendi tanto.

    Foram anos incríveis de aprendizagem sobre mim, sobre os meus limites, auto-julgamentos e sobre a importância que dava aos julgamentos dos outros.

    Hoje vejo o erro com outros olhos. Aprendo com ele. Cresço com ele. Noto o que tenho de treinar mais, o que tenho de organizar mais, o que tenho de largar mais, o que tenho de fazer de forma diferente.

    Os erros fazem-nos crescer, se os deixarmos. Mas essa aprendizagem só é possível, se formos gentis enquanto crescemos, tal como fomos com os nossos filhos enquanto aprendiam a dar os seus primeiros passos. 

    Share